SAFERGS

Por xingamentos individualizados – Soninha Francine


    Todo mundo erra. Creio que, pelo menos nesse ponto, estamos todos de acordo. Árbitros, auxiliares, técnicos, dirigentes, centroavantes, goleiros,zagueiros e… comentaristas, como não? Todos temos dificuldade para aceitar nossos erros…

    Todo mundo que erra acredita que estava certo, e às vezes demora a reconhecer seu equívoco. Quando o faz, põe a culpa em alguém. E não perdoa os erros alheios…

    Especialmente se o "errante" for uma mulher se atrevendo a jogar, apitar ou falar de futebol.
Sim, nós, comentaristas e torcedores, somos impiedosos com jogadores e árbitros, e merecemos puxões de orelha quando damos nossas caneladas. Mas as mulheres apanham mais, não tenho a menor dúvida.

    Quantos comentaristas homens já não fizeram acusações injustas, tiraram conclusões apressadas, deram palpites furados? Não me lembro de algum deles ter sido condenado para sempre: "Esse cara não entende nada de futebol!” E tenho certeza que ninguém sugeriu ao autor do disparate ir consertar o motor do carro, trocar pneu ou bater uma laje…

    Mas ai da mulher que cometer um erro.
"Tá vendo?????? Mulher não serve pra isso!". Sim, e uma avaliação equivocada – ou uma opinião da qual o torcedor discorde – podem acarretar uma avalanche de recomendações gentis do tipo "volta para o fogão" ou "vá lavar roupa".

    Já passei por isso. A primeira vez foi quando, cerca de oito anos atrás, disse que o Botafogo parecia inevitavelmente no caminho do rebaixamento… Não era nenhum prodígio de adivinhação, não. Só uma impressão, digamos assim. Recebi muitas mensagens com referências a eletrodomésticos.

    Mas essas reações exageradas vão sumir com o tempo. É um palpite, é certo, mas baseado em fortes indícios. Hoje em dia, meninas jogam futebol no recreio da escola com a maior naturalidade, dezenas de meninas se formam em jornalismo pensando em trabalhar com mídia esportiva e os veículos admitem cada vez mais mulheres nessa editoria- não para atrair o público masculino, mas para representar o público feminino.

    Então vai chegar o dia em que, sem prestar a menor atenção ao gênero de quem fala ou escreve, as pessoas farão avaliações caso a caso. E, quando discordarem de mim ou me flagrarem errando, dirão apenas: "Falou bobagem!", ou, ainda, "ESSA comentarista é uma besta!" – sem condenar as mulheres todas por minha culpa…

*Soninha Francine  – Jornalista e vereadora (PT-SP)

Texto publicado  no Jornal
Marca da Cal edição de março de 2007

Faça um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>