Parceiros

Farmacia
S.O.S Consultas Médicas
crmentz

Galeria

Pesquisa

Aniversários/Maio


Dia 01
Leirson P. Martins

Dia 02
Dione R. Lopes

Dia 03
Edison A. Silva
Elissandro S. Santos

Dia 04
Nicolas F. Almas

Dia 05
José M. S. Weinert

Dia 06
Denis M. M. Silva

Dia 07

Dakimalo  G. Gomes
Marco A. N. Magalhaes
Marcus  V. O. Santos

Dia 08
Fabrício N.  Correa

Dia 12
Adão R.. Poitevin

Dia 13
Justimiano A. Gularte
Sandro  J. Cardoso

Dia 14
Daniel S. Noronha
Fabricio H. Gomes
Juarez  M.  Junior

Dia 15
Ilton M. A. Souza
José A. S. Nunes

Dia 16
Leonir S. Machado

Dia 17

Adilson  I. F. Morais
Claudio  L. M. Gonçalves

Dia 19
Charles M.  Lemos

Dia 20
Marcelo  I. D. Neto

Dia 22

Flavio E. P. Teixeira

Dia 24
Cleber G. Flores
Maicon  Stormowski
Vinicius J.  Oliano

Dia 26
Leandro J. Alflen

Dia 29
Jean S. Batista

Dia 30
Luiza  N. Reis

Tempo

Temp: °
Sensação: °
Umidade: %
Velocidade:  
Direção.: °
Barôm.:  
Mais detalhes

Eventos

 Abr   Mai 2015   Jun
DSTQQSS
   1  2
  3  4  5  6  7  8  9
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31 
Techies Resources High Level Synthesis

RSS

O apito da Copa América 2015
25 de maio de 2015 - 09:08
arbitros-ca2015O Comitê de Arbitragem da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou neste domingo (24), as equipes de arbitragem da Copa América 2015, que acontece de 11 de junho a 4 de julho, no Chile. Confira, por pais, os árbitros selecionados: Carlos Vera (Equador), Dario Ubriaco (Uruguai), Enrique Cáceres (Paraguai), Enrique Osses (Chile), José Argote (Venezuela), Nestor Pitana (Argentina), Raul Orosco (Bolívia), Victor Carrillo (Peru), Wilmar Roldan (Colômbia) e Sandro Meira Ricci (Brasil), que contará com os assistentes Emerson de Carvalho e Fábio Pereira. Clique aqui e veja a relação completa das equipes do apito. 


Exemplo a ser seguido
Seria salutar para o futebol se o comportamento adotado por Vanderlei Luxemburgo fosse seguido por dirigentes e outros profissionais do mundo da bola. Ele evitou culpar a arbitragem pela derrota por 2 a 1 para o Avaí, que fez o Flamengo encerrar a terceira rodada do Campeonato Brasileiro na 17ª posição, encabeçando a zona de rebaixamento, com apenas um ponto ganho. O comandante admitiu que seu time não apresentou um futebol suficientemente bom para que pudesse vencer na Ressacada, mas também não deixou de admitir o peso que o erro teve para o revés rubro-negro - aos 16 minutos da etapa final, quando o jogo estava empatado por 1 a 1, a arbitragem não flagrou uma bola que saiu na linha de fundo no lance do segundo gol da equipe catarinense. "Não vamos colocar a derrota em cima da arbitragem, é que o gol foi irregular e você tem de falar, mas não jogamos de uma maneira convincente para que merecemos uma virada de jogo", reconheceu Luxemburgo.

Fonte: Futebol Interior


Árbitros conquistam mais respeito no Brasileirão 2015
As primeiras rodadas do Brasileirão 2015 já se pode perceber a eficácia da medida, que visa combater a falta de respeito com a arbitragem e garantir um ambiente tranquilo e equilibrado para a prática do futebol. A ANAF sempre defendeu a bandeira do respeito a arbitragem, lançando campanhas de conscientização e valorização da arbitragem. Entretanto, alguns jogadores insistem em continuar reclamando excessivamente de situações normais do jogo, como a marcação de um lateral, falta ou impedimento. Além de expor a falta de conhecimento sobre o que foi determinado pela organização do campeonato aos árbitros, ou seja agirem com mais rigor contra reclamações, determinados jogadores mostram que não querem realmente respeitar a figura do arbitro. É o caso do lateral-direito Lucas, que deixou o gramado no intervalo esbravejando contra a nova regra, a qual classificou como “babaquice”. Ele também levou amarelo, mas por “calçar o adversário”, segundo a súmula. "É futebol, gente, tem que falar (com o árbitro). E ele falar com a gente também. A gente está dentro de campo, a adrenalina lá em cima e não pode falar com o árbitro. Isso aí não existe. As regras mudam constantemente, não avisam, não falam nada e fica com essa babaquice. Qualquer coisa dá cartão" reclamou. O próprio treinador de sua equipe, Oswaldo de Oliveira, divergiu da declaração do atleta, afirmando: "Nós tivemos uma reunião na CBF, todos os treinadores, duas semanas antes do campeonato. Fizemos todos os alertas sobre as determinações da CBF, isso foi feito também por escrito aos jogadores e sempre antes dos jogos a gente reforça isso. Hoje perdemos o equilíbrio no primeiro tempo, eles sabiam que não podiam reclamar com a veemência que reclamaram. Me dirigi diretamente para o Valdivia, o Robinho, que não tinha tomado o amarelo mas estava reclamando muito, e o Leandro Pereira, e os proibi de continuarem reclamando no segundo tempo" completou Oswaldo. Lembrando que em circular, a CBF determinou mais rigor contra reclamações. O presidente da CA-CBF, Sérgio Corrêa, falou em “falta de respeito” com a arbitragem e pediu que tribunais também atuem. "Reclamam de tudo, lateral, tiro de meta, em treino" afirmou Corrêa. A ANAF reitera a sua posição em favor do respeito à arbitragem e pede mais rigor às punições por reclamação, seja antes ou depois dos jogos por jogador, técnico ou dirigente que esbravejarem contra os árbitros.

Fonte: ANAF




 

Outras notícias da bola e do apito

Árbitro turco apita final da Liga dos Campeões
A UEFA anunciou na segunda-feira, 18 de maio, quem será o árbitro da grande decisão da Liga dos Campeões desta temporada. Cüneyt Çakir foi o escolhido pela entidade para apitar o jogo mais importante do futebol europeu no ano. No dia 6 de junho, Barcelona e Juventus decidirão o título da competição no Estádio Olímpico de Berlim, na Alemanha. Çakir tem 38 anos e é um dos mais conceituados árbitros da atualidade, tendo apitado a semifinal da última Copa do Mundo entre Holanda e Argentina, em São Paulo. Ele foi alvo de uma polêmica em 2013, quando expulsou de forma bem rigorosa o meia Nani, do Manchester United, em duelo de oitavas de final de Liga dos Campeões diante do Real Madrid. Na época, no entanto, a Uefa defendeu sua decisão.

Fonte: Estadão


Tolerância zero contra indisciplina faz Brasileirão amarelar
A CBF pediu mais rigor diante das reclamações dos jogadores durante as partidas, e os árbitros atenderam. É o que indica o número de cartões amarelos neste Campeonato Brasileiro. Foram 17 advertências nas duas primeiras rodadas por protesto contra a arbitragem - contra quatro da edição de 2014, no mesmo período. O número total de cartões - seja por reclamação, jogada dura ou repetição de faltas - também cresceu de forma significativa. Foram 78 amarelos nas duas rodadas iniciais de 2014 (média de 3,9 por jogo) e 104 neste ano (média de 5,2). É um crescimento de 33%. Em circular publicada no dia 13 de abril, a Escola Nacional de Arbitragem de Futebol (Enaf) aponta que reclamações acintosas "exigem adoção de medida disciplinar adequada". O presidente da Comissão Nacional de Arbitragem da CBF (Conaf), Sérgio Corrêa, afirmou que a política vai se manter até o fim do campeonato e que os árbitros que não cumprirem a regra já estão sendo punidos. "Afastei dois árbitros nesta rodada porque não deram cartão por reclamação, apesar de eles terem feito uma grande arbitragem. E assim será. Com tolerância zero. Na primeira vez que o árbitro não cumprir, vai ficar uma rodada fora, e na reincidência a punição aumenta. Não é uma chuva de verão. Vamos manter esta postura até o fim do campeonato", disse. Segundo a circular, "o futebol não pode ser vítima nem de árbitros fracos, nem de jogadores ou dirigentes indisciplinados". A medida tem atingido também quem está no banco de reservas. O Brasileirão deste ano já teve dois treinadores expulsos (Gilson Kleina, do Avaí, e Vinícius Eutrópio, da Chapecoense). No ano passado, o primeiro punido foi Argel Fucks, do Figueirense, apenas na 15ª rodada. Ao final do campeonato, foram sete expulsos. Corrêa deixa claro que o jogador não está proibido de conversar com o árbitro, e sim de reclamar de maneira ostensiva, com dedo no rosto, fazendo rodinha com os companheiros para cercar o juiz ou com gestos acintosos, como socos no gramado ou aplausos irônicos."Cito até um bom exemplo. Os jogadores do Atlético-MG tiveram um pênalti contra no jogo contra o Fluminense e conversaram com o árbitro, mas em uma distância razoável. Ali eu achei respeitoso o tom." A Chapecoense foi o time mais advertido por reclamação, com cartões amarelos para Bruno Silva, Rafael Lima e Roger. Com dois cartões, aparecem Avaí (Romário e Marquinhos), Cruzeiro (Fabrício e Willian), Palmeiras (Gabriel e Robinho) e Vasco (Dagoberto e Serginho, ambos após uma falta a favor do seu time). Completam a lista Pedro Botelho (Atlético-MG), Vinicius (Fluminense), Maicon (Grêmio), Diego (Ponte Preta), Luis Fabiano (São Paulo) e Diego Souza (Sport). Um dado interessante: cinco desses 17 cartões foram distribuídos já nos acréscimos das partidas.

Fonte: GloboEsporte


Os melhores do Brasil
Confira a seguir quem foram os melhores árbitros e assistentes nos campeonatos estaduais encerrados no início do mês de maio. Estão listados os campeonatos que têm times na Série A do Brasileirão, que contam com a eleição e divulgaram quem foram os destaques do apito de das bandeiras.
Campeonato Gaúcho
Melhor árbitro: Anderson Daronco.
Melhor assistente: Marcelo Barison.
Campeonato Pernambucano
Melhor árbitro: Marcelo de Lima Henrique.
Melhores assistentes: Fernanda Colombo e Clóvis Amaral.
Campeonato Catarinense
Melhor árbitro: Sandro Meira Ricci.
Melhores assistentes: Nadine Câmara Bastos e Kléber Lúcio Gil.
Campeonato Goiano
Melhor árbitro: Wilton Sampaio.
Melhor assistente: Fabrício Vilarinho.
Campeonato Mineiro
Melhor árbitro: Émerson de Almeida Ferreira.
Melhores assistentes: Guilherme Dias Camilo e Márcio Eustáquio Santiago.
Campeonato Paulista
Melhor árbitro: Guilherme Ceretta de Lima.
Melhores assistentes: Émerson Augusto de Carvalho e Alex Ang Ribeiro.
Campeonato Carioca
Melhor árbitro: Wagner Magalhães.
Melhores assistentes: Rodrigo Figueiredo Corrêa e Dibert Pedrosa Moises.
Fonte: Blog do Diori


Confira os gaúchos que fazem parte da RENAF 2015
A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) publicou na segunda-feira 4 de maio um oficio em seu site com a nova lista da Relação Anual de Árbitros de Futebol (RENAF), que fica vigente de abril de 2015 a março de 2016. A RENAF traz a lista de árbitros e árbitros assistentes que fazem parte do quadro de arbitragem da CBF e estão aptos a trabalhar em todas as competições de nível nacional. Na relação os árbitros são distribuídos de acordo com sua categoria na entidade, começando pelos Árbitros Internacionais (FIFA), os árbitros Aspirantes FIFA, os Especiais 1 e 2, CBF 1, 2 e 3, tanto para os homens, quanto para mulheres.Entre os gaúchos, integram a lista os árbitros Anderson Daronco, Leandro Vuaden (ambos do quadro FIFA), Jean Pierre Lima Gonçalves Lima (Aspirante FIFA), Fabrício Neves Correa, Diego Almeida Real (os dois na categoria CBF-1), Francisco de Paula dos Santos Silva Neto, Roger Goulart, Márcio Coruja, Luis Teixeira Rocha, Daniel Nobre Bins (todos da categoria CBF-2). Entre os árbitros assistentes constam os nomes de Rafael da Silva Alves (Aspirante FIFA), Marcelo Bertanha Barison e José Javel Silveira (categoria Especial-2), José Antonio Chaves Franco Filho, José Eduardo Calza, Alexandre Pruinelli Kleiniche e Lúcio Beiersdorf Flor (categoria CBF-1), Carlos Henrique Selbach, Maurício Coelho Silva Penna, Leirson Peng Martins e Elio Nepomuceno de Andrade Junior (categoria CBF-2) e Antonio João do Prado Lima Albornoz (categoria CBF-3). A nova composição da RENAF conta com 468 árbitros e assistentes masculinos e 119 femininos, totalizando 587 profissionais. No quadro masculino, 40% são árbitros (187) e 60% são assistentes (281); entre as mulheres, 31% são árbitras (37) e 69% são assistentes (82). Para ver a lista completa, clique

aqui.

Fontes: com informações do Refnews e da CBF


Árbitros reivindicam direito de imagem no Congresso Nacional
Convidada a participar das reuniões de discussão da MP do Futebol no Congresso Nacional, a Associação Nacional dos Árbitros (ANAF) defendeu, na quarta-feira 6 de maio, que o texto inclua o pagamento de direitos de imagem aos profissionais da categoria. A instituição também pediu o fim dos sorteios de árbitros para as partidas, previsto na Lei Pelé. Marco Antônio Martins, presidente da ANAF, denunciou que sua categoria é frequentemente excluída das discussões sobre os rumos do futebol e que a realidade trabalhista e salarial dos profissionais da arbitragem é precária."Existem de 80 a 100 mil árbitros espalhados pelo país sem carteira assinada, vínculo empregatício, direitos sociais, aposentadoria ou remuneração fixa. O Campeonato Brasileiro movimenta bilhões de reais e a arbitragem não tem acesso a quase nada. Os 20 árbitros de nível Fifa conseguem sobreviver da profissão, todos os outros têm que ter outro emprego", destacou Martins. O árbitro profissional Sandro Meira Ricci, que trabalhou na Copa do Mundo de 2014, apresentou dados à comissão que dão conta da disparidade entre a situação dos juízes brasileiros e a de seus pares em outros países, onde o ofício é mais regulamentado. Segundo explica, enquanto os árbitros europeus recebem salários de R$ 200 mil reais anuais em média, os brasileiros ganham apenas por jogo trabalhado, e dependem de sorteios para serem escalados para as partidas. Ricci e Martins questionam também as condições de trabalho dos árbitros, que atuam sob pressão e têm responsabilidades sobre os resultados das partidas, que mexem com o planejamento e o resultado financeiro dos clubes. Eles demandam maior autonomia do setor para que os árbitros possam ter descanso adequado entre jogos, treinamento específico constante e preparação psicológica. O presidente da ANAF esclareceu que a principal reivindicação da categoria é a independência das federações estaduais, às quais as comissões de arbitragem são subordinadas atualmente. Em seu ponto de vista, isso permitiria a melhoria da situação trabalhista. "Nosso maior pedido é que a arbitragem cuide da sua área. Somos preparados para isso. Se as federações não querem assinar a carteira, não tem problema, deixem que nós mesmos organizamos" resumiu. O deputado Evandro Rogério Roman (PSD-PR), que foi árbitro profissional, é autor de uma emenda à MP que destina 5% da arrecadação com direitos de transmissão das partidas de futebol para os árbitros que atuarem nelas. Ele propõe que a categoria receba mais atenção das autoridades políticas e do futebol." Buscamos a regulamentação da profissionalização. Tentamos encontrar uma forma de que pelo menos os árbitros da primeira divisão tenham um nível adequado de investimento, cobrança, reciclagem e acompanhamento" disse.

Fonte: Agência Senado




Terra

Globo

Folha

Lance



DIRETORIA INFORMA

  • Mulheres na arbitragem de futebol
  • capa_cursoAconteceu na sexta-feira, 22, na sede do Sindicato, a entrega de diploma às formandas do curso de árbitros de futebol de campo, promovido pela Associação Gaúcha de Futebol Feminino - AGFF, Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres - SPM RS, Centro de Memória do Esporte - UFRGS e Secretaria Estadual do Esporte e do Lazer e SAFERGS. Clique aqui e veja mais fotos da diplomação do curso realizado no segundo semestre de 2014.

  • Começa o curso de arbitragem da SME
  • curso-onlineComeçou na segunda-feira, 11 de maio, o curso gratuito de arbitragem de futebol para maiores de 18 anos, promovido pela Secretaria Municipal de Esportes, Recreação e Lazer (SME) em parceria com o SAFERGS. O curso terá aulas teóricas, realizadas nas segundas-feiras, e seis aulas práticas, aos sábados, com datas a serem definidas. Os alunos que tiverem, na primeira etapa, 70% de presença na parte teórica e 100% de presença na prática de arbitragem, poderão realizar a segunda etapa teórica e prática e receberão o certificado de conclusão do curso.

 


 

ANAF INFORMA

  • ANAF integra grupo para criação do Sistema Nacional do Esporte
  • O presidente da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF), Marco Antônio Martins, foi nomeado membro do Grupo de Trabalho que contribuirá na elaboração do Projeto de Lei de Diretrizes e Bases do Sistema Nacional do Esporte. O representante da arbitragem foi convocado para a primeira reunião do Grupo de Trabalho no dia 21 de maio, das 9 as 18 horas, no Ministério do Esporte, em Brasília. Na semana passada, a ANAF participou da audiência pública da comissão mista que analisa a MP 671/2015 (MP do Futebol). A audiência também tratou das condições de trabalho dos árbitros de futebol. Marco Antônio Martins, presidente da ANAF, denunciou que sua categoria é frequentemente excluída das discussões sobre os rumos do futebol e que a realidade trabalhista e salarial dos profissionais da arbitragem é precária. Diante do manifesto, o Ministério do Esporte resolveu incluir o representante da ANAF no Grupo de Trabalho, que terá a missão de apresentar as propostas para a elaboração de um projeto de lei que sistematizará o esporte no Brasil. O deputado Evandro Rogério Roman (PSD-PR), que foi árbitro profissional, é autor de uma emenda à MP que destina 5% da arrecadação com direitos de transmissão das partidas de futebol para os árbitros que atuarem nelas. Ele propõe que a categoria receba mais atenção das autoridades políticas e do futebol.
  • Fonte: ANAF

 


MARCA DA CAL ESPECIAL

  • marca_da_cal__bannerEdição especial reportando o evento de comemoração dos 30 anos do SAFERGS. Cobertura da primeira Assembleia de Trabalho da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (Anaf) de 2015, ocorrida nos dias 27 e 28 de março, no Hotel SESC Campestre, em Porto Alegre. Confira o Marca da Cal Especial em PDF, clique aqui.

MARCA DA CAL

Edição número 51 do jornal oficial do SAFERGS entrevista Anderson Daronco, árbitro FIFA do RS. Na capa, as informações da plenária de trabalho da Anaf, realizada em Porto Alegre. Na página 8, a ação do Sindicato em defesa do associado Francisco Neto, atacado pelo técnico do Grêmio, o “Felipão”.

 marca_final_03_151
Edições anteriores


pdf
marca_da_cal dez_jan_2014/15
pdf marca_da_cal  ago_set_2014
pdf marca_da_cal  mar_abr_2014
pdf marca_da_cal
 nov_dez_2013
pdf
marca_da_cal
 jan_fev_2013
pdf marca_da_cal
 nov_dez/2012
pdf marca_da_cal
 jul_ago/2012
pdf marca_da_cal
 mai_jun/2012
pdf marca_da_cal
 mar_abr/2012
pdf marca_da_cal
 jan_fev/2012
pdf marca_da_cal
 set_out/2011
pdf
marca_da_cal  jul_ago/2011
pdf marca_da_cal
 mai_jun/2011
pdf
marca_da_cal
 mar_abr/2011
pdf marca_da_cal  jan_fev/2011
pdf marca_da_cal  dezembro/2010
pdf marca_da_cal
 outubro/2010
pdf marca_da_cal  agosto/2010
pdf marca_da_cal  junho/2010
pdf marca_da_cal abril/2010
pdf marca_da_cal  fevereiro/2010
pdf marca_da_cal   janeiro/2010
pdf marca_da_cal dezembro/2009 
pdf marca_da_cal jul/ago_09
pdf marca_da_cal  junho/2009 
pdf  marca_da_cal março/2009
pdf marca_da_cal  fevereiro/2009
pdf  marca_da_cal dezembro/2008
pdf marca_da_cal
novembro/2008
pdf marca_da_cal
outubro/2008
pdf marca_da_cal
setembro/2008
pdf marca_da_cal agosto/2008
pdf marca_da_cal
julho/2008
pdf marca da cal
junho/2008
pdf marca_da_cal maio/2008
pdf marca_da_cal
março_abril/2008
pdf marca_da_cal fevereiro/2008 
pdf marca_da_cal
janeiro/2008 
pdf marca_da_cal nov/dez/2007
pdf marca_da_cal outubro/2007
pdf Marca_da_Cal setembro/2007
pdf Marca_da_Cal agosto/2007
pdf Marca_da_Cal julho/2007
pdf Marca_da_Cal junho/2007
pdf Marca_da_Cal_ maio/2007
pdf Marca_da_Cal abril/2007
pdf Marca da Cal março/2007
pdf Marca da Cal fevereiro/2007 
pdf Marca da Cal dezembro/2006 











DIRETORIA INFORMA

 

  • Unidade sindical
  • A diretoria ressalta que o fardamento fornecido pelo Sindicato aos associados deve ser utilizado somente nas competições promovidas pela CBF, FGF e nos torneios, campeonatos e eventos esportivos cuja arbitragem seja da responsabilidade do SAFERGS.

 

  • Escalas do apito e das bandeiras
  • Tendo em vista os diversos campeonatos cuja arbitragem é administrada pelo SAFERGS, a diretoria enfatiza aos associados a importância de participar de tais competições. Para isto, basta deixar o seu nome na lista da secretaria do Sindicato. Além de proporcionar experiência aos iniciantes, estes jogos são oportunidades valiosas para o aprimoramento físico-técnico.

  • Participação democrática
  • A diretoria do SAFERGS comunica que é aberta a participação de todos os associados nos campeonatos cuja arbitragem é responsabilidade da entidade, em razão de contratos firmados. Para se habilitar à escala, árbitros e assistentes devem comunicar sua intenção e disponibilidade à secretária do Sindicato, pessoalmente ou através do telefone (051) 3226-0150 ou do email: Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email . Participar de tais competições proporciona não apenas uma bem-vinda renda extra, como se constitui numa excelente oportunidade para acúmulo de experiência a aprimoramento profissional.

  
 Legislação
Filie-se

logo_anaf_02 fgf conmebolcbf
Av. Borges de Medeiros, 308, SL 141/142 - Porto Alegre - RS CEP 90.020-020
Fone: (051) 3226-0150. Fax: 3227-9074